quarta-feira, 13 de junho de 2018

I've got new rules

Resultado de imagem para alabama monroe tumblr

Como boa neurótica que sou, tenho uma regra cinematográfica que levo muito a sério que é não me apaixonar um filme sem um intervalo de um mês. Eu preciso desse tempo para me recompor, falar exaustivamente para os meus amigos, postar no Instagram, no Facebook e no Twitter, ameaçar desfazer amizades com quem não assistir ou assistir e não amar tanto quanto eu além de refletir se devo favoritar ou não no filmow. Tudo isso leva tempo.

Essa semana vi A Caça, do diretor dinamarquês Thomas Vinterberg. Um filme profundo e doloroso sobre os danos irreparáveis que a mentira e o julgamento precipitado podem causar. Era como se pudesse sentir a dor da injustiça dentro de mim. Fiquei dias falando sobre ele — até com desconhecidos na rua, eu puxava assunto.

Em seguida, veio Alabama Monroe. Por favor, uma pausa para Alabama. Esse é um filme que não dá para ir falando sem essa pausa. Sem um suspiro. Sem um olhar perdido no horizonte. O longa belga do diretor Felix Van Groeningen é um belíssimo conto de fadas rural de arrancar o coração com as mãos. Aquele tipo de filme em que os personagens saem do cinema com a gente, vão para casa, para o trabalho, para as festas, e se recusam a partir enquanto a gente não aceita e supera tudo que aconteceu com eles. Quando a gente aceita, eles vão.

Eu gosto de filmes que deixam conseqüências. Não gosto de sair do cinema do mesmo jeito que entrei. E nesse quesito, e em todos os outros, esses três citados estão de parabéns.

Alguns filmes são tão lindos que não terminam quando acabam.

Estou apaixonada pelos dois. Quebrei a regra. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário